aliger em Editorial

13 de junho, 2022

Descubra tudo sobre o Metaverso: Hype ou Sucessor da Internet?

A Tecnologia pode renovar a forma como tudo funciona, além de receber o apoio e investimento de grandes empresas, o Metaverso é a nova promessa que pode substituir até a Internet.

Apenas o Começo do Futuro!


 “O metaverso está chegando”. Você provavelmente já ouviu falar sobre isso. Mas há um problema: Poucas fontes (confiáveis) explicam o que realmente seria.

Hoje podemos acompanhar e experimentar de perto essas mudanças. E a melhor parte da história, é que o Metaverso pode ser o próximo upgrade do mundo.

Bill Gates sempre defendeu que a tecnologia junto com a Internet são ferramentas que ajudam e administram melhor as empresas. Tanto que ele fez uma afirmação polêmica no século passado:

“Os negócios vão mudar mais nos próximos dez anos do que mudaram nos últimos cinquenta.” (Business @ the Speed of Thought, 1999).

Hoje, podemos acompanhar e experimentar de perto essas mudanças. E a melhor parte da história, é que o Metaverso pode ser o próximo upgrade do mundo.

Após localizar esse problema e a escassez de bons conteúdos, resolvemos trazer tudo o que você precisa saber. Fique com a Aliger e descubra mais sobre o assunto do futuro!

Qual é o conceito?


Existe um grande projeto que envolve várias gigantes da tecnologia, entre elas se destacam o Facebook, Google, Epic Games e Softbank, e as mesmas apostam que isso pode revolucionar as redes sociais.

Embora ainda não seja algo para agora, o conceito já é a visão dessas empresas daqui a alguns anos.

Para entender o conceito, precisamos descobrir o significado da palavra.

De acordo com Cathy Hackl, uma futurista de tecnologia mais influentes em computação espacial, bens virtuais, mundos virtuais e o Metaverso, a definição é simples:

“A palavra "metaverso" é uma junção do prefixo "meta" (que significa além) e " universo ", o termo é normalmente usado para descrever o conceito de uma iteração futura da internet, composta de espaços virtuais 3D persistentes, compartilhados, vinculados a um universo virtual percebido.”

 O Metaverso é a combinação de três fatores:

  1. Realidade Física (Physical Reality – PR)

  2. Realidade Aumentada (Augmented Reality - AR)

  3. Realidade Virtual (Virtual Reality - VR)


O termo, de certa forma, é muito bom para descrever o que acontecerá quando as principais tecnologias começarem a se juntar.

Assim como as expectativas frente a essa tecnologia são grandes, pois a mesma pode mudar radicalmente a forma como interagimos uns com os outros, e com o mundo que conhecemos. 

Entretenimento - Filmes, Livros e Origens:

O termo se originou de um livro chamado “Snow Crash”, escrito em 1992 por Neal Stephenson. O romance cyberpunk apresenta a história de um universo digital onde praticamente tudo pode ser criado.

Mas também apresenta vários problemas, como o desenfreado vício em tecnologia e os mesmos problemas que a vida real carrega.

Como a Internet, o Metaverso de Stephenson representa um coletivo e interativo que está sempre online e fora do controle de qualquer pessoa ou instituição. Ou seja, são as pessoas que o habitam e controlam os seus “Meta-Avatares”.

O primeiro grande experimento nesse sentido, aqui na vida real, foi com Second Life, lançado em 2003. Hoje, podemos considerar que Fortnite e Roblox estão tentando virar metaverso.

Alguns filmes também já imaginaram e simularam esse cenário, obras famosas como Matrix, Tron e Avatar do James Cameron apresentam uma visão dessas simulações virtuais.

E claro, tem ainda o programa OASIS do filme o “Jogador Número 1”, originalmente um livro, mas foi para o cinema nas mãos do Steven Spielberg.

A Corrida do Facebook:

 O Facebook, do bilionário Mark Zuckerberg, já lançou algo semelhante com o metaverso: as salas de videoconferência Horizon Workrooms.

O lançamento ainda é bem limitado, atendendo apenas as pessoas que precisam fazer reuniões no estilo Home Office.

O co-fundador do Facebook, Mark Zuckerberg anunciou o novo nome da companhia: Meta.

Zuckerberg, porém, está investindo no futuro do projeto, pois o Facebook anunciou que vai contratar dez mil funcionários na União Europeia, todos focados para fazer com que o desenvolvimento do Metaverso aconteça.

Com uma transcrição de um trecho do podcast “The Vergecast” (22/7/21) com a participação de Mark Zuckerberg, é possível ter uma visão mais clara do futuro:


 “...O metaverso é uma visão que abrange muitas empresas — todo o setor. Você pode pensar nisso como o sucessor da Internet móvel. E certamente não é algo que uma empresa irá construir, mas acho que uma grande parte do nosso próximo capítulo irá, com sorte, contribuir para a construção disso, em parceria com muitas outras empresas, criadores e desenvolvedores.”

No podcast, Zuckerberg também esclarece como será o Metaverso:

“Mas você pode pensar no metaverso como uma Internet incorporada, onde, em vez de apenas ver o conteúdo — você está nele. E você se sente presente com outras pessoas como se estivesse em outros lugares, tendo experiências diferentes que você não poderia necessariamente fazer em um aplicativo 2D ou página da web, como dançar, por exemplo, ou diferentes tipos de fitness.”

Outras Plataformas:

 Tim Sweeney, CEO da Epic Games, há muito tempo fala sobre seus planos envolvendo o metaverso. Até porque os universos interativos fazem parte do mundo dos games. Veja bem, eles não são exatamente metaversos, mas têm alguns paralelos.

Nos últimos anos, o Fortnite, por exemplo, expandiu seu leque de produtos, realizando shows e eventos de marcas e dentro de seu mundo digital.

Apesar do Fortnite não ser um Metaverso, praticamente nada está mais perto do conceito de Metaverso hoje.

Outros jogos também têm flertado com o conceito de metaverso. O Roblox, por exemplo, reúne em uma plataforma milhares de jogos conectados com um ecossistema maior, em que os jogadores podem criar experiências diferentes.

 Nesse sentido, há ainda a plataforma Unity, para desenvolvimento de aplicativos em 2D e 3D, e que hoje está investindo no que chama de "gêmeos digitais" (cópias do mundo real), e a multinacional Nvidia, que está construindo seu "omniverse", uma plataforma para conectar mundos virtuais 3D.

 Um Metaverso de Possibilidades:

 O Metaverso requer uma infraestrutura e potência computacional que ainda não existe, pois deve ser capaz de lidar com as inúmeras conexões de pessoas engajadas em uma experiência compartilhada, simultânea e síncrona.

Por esses principais fatores, é provável que a concretização dessa realidade leve alguns anos para acontecer.

Durante o momento de anúncio do novo nome do Facebook, revelado pelo próprio CEO e fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, explicou e revelou alguns detalhes sobre o plano audacioso de sua companhia:

“No metaverso, você será capaz de fazer quase tudo o que imaginar - ficar junto de amigos e familiares, trabalhar, aprender, jogar, comprar, criar - assim como viver experiências completamente novas que não se encaixam em como pensamos computadores ou telefones hoje.”

Sobre qualquer outra especulação que ainda possa surgir ou ainda todas as empresas que vão investir no Metaverso, uma coisa é certa: um dos objetivos principais, ainda será conectar pessoas.

 

Escrito por

Tags

Open chat