aliger em Mais acessados

23 de dezembro, 2019

Etiquetas RFID: cases de sucesso no rastreio de alimentos

O avanço de tecnologias como a Internet das Coisas (IoT) ajuda a impulsionar as indústrias em formas, até então, nem imaginadas. Os mais distintos segmentos são impactados de forma positiva e, por meio da IoT, da inteligência artificial e de outras possibilidades, há ganhos em eficiência, economia de recursos e maior qualidade entregue aos consumidores de cada mercado. E essa transformação acontece, muitas vezes, na forma de pequenos objetos, como as etiquetas RFID. RFID é a abreviação para "identificação por radiofrequência", em tradução livre do termo radio-frequency identification. Essa sigla representa um sistema de identificação e localização em formato de ondas, mais difundido no formato de pequenas etiquetas ou tags. Na sua aplicação prática, uma tag RFID transmite e recebe informações através de uma antena e um microchip - também chamado de circuito integrado. O chip em um leitor de RFID é escrito com informações que descrevem bem o objeto a ser rastreado. As ondas de rádio RFID, então, funcionam enviando dados da etiqueta para um dispositivo leitor, que transmite as informações para um programa de computador. Os usos dessas tags são diversos e impactam uma série de setores do mercado, desde o varejo até a agricultura e a pecuária. Os segmentos de agricultura e pecuária, assim como o ramo alimentício de forma geral, têm grande importância econômica para o Brasil. As aplicações de IoT para essas indústrias são inúmeras, muito além das tags RFID. Além dessa tecnologia, também são aplicadas soluções para controle de plantio, administração de fertilizantes e defensivos, rastreamento e rotulagem de transgênicos e não transgênicos, controle de pragas, sistemas pecuários de rastreamento de rebanho e veículos, administração de rações, controle de doenças e a rastreabilidade de processos para produtos com garantia de origem controlada e de maior rentabilidade.

RFID no rastreio de alimentos: como funciona?

Pensando especificamente no rastreio de alimentos, estamos falando de uma aplicação lucrativa e extremamente eficiente para a indústria. Com o amparo da tecnologia das etiquetas RFID para rastreio de alimentos, podemos destacar vantagens como: Maior precisão nas informações de armazenamento: as tags RFID ajudam a otimizar as etapas da logística envolvidas na produção e distribuição dos alimentos, bem como no controle de estoque; Redução de erros na gestão de estoque: rastreando os produtos em tempo real, as etiquetas RFID garantem que eles estarão no local certo, na hora certa; Agilidade na identificação dos produtos: a tecnologia permite a leitura de milhares de tags por segundo, possibilitando inventariar todos os produtos contidos em uma caixa de uma vez só; Prevenção de potenciais prejuízos: já que a tag RFID possibilita que o alimento seja rastreável, portanto, ele será mais facilmente armazenado, transportado e entregue nos locais certos e dentro do prazo, evitando que o produto estrague ou passe do seu prazo de validade; Essas vantagens, como deve ter ficado claro, são várias e afetam etapas distintas. De forma simples, sem custos muito altos, mas extremamente eficiente, as tags RFID podem ser um diferencial competitivo para as empresas de alimentos. Essa realidade é amparada por dados do mercado, que apontam que a receita global do segmento de rastreabilidade de alimentos vem aumentando. Estimativas desse mercado preveem que o ramo de rastreabilidade de alimentos deve chegar a gerar 22,27 bilhões de dólares até 2025. A fim de comparação, o valor estimado em 2017 era de 10,97 bilhões.

Cases de sucesso no segmento: aplicação de etiquetas RFID na indústria alimentícia

Diante do papel importante das etiquetas RFID no rastreio de alimentos, bem como das projeções positivas para esse mercado, é de se esperar que as indústrias já consigam colher bons frutos com a ajuda dessa tecnologia. Pensando nisso, separamos alguns cases de sucesso na implementação de tags RFID para o rastreamento de alimentos. Veja algumas empresas que conseguiram empregar essa tecnologia, de forma simples e eficiente, para otimizar seus processos logísticos, de qualidade e distribuição de alimentos.

Fornecedora de alimentos Reynolds Catering Supplies

A Reynolds é um grande nome do mercado de produtos frescos e lácteos no Reino Unido, com produtos entregues em restaurantes, cafés e até hospitais britânicos. Em sua operação de distribuição, a empresa começou a utilizar etiquetas RFID depois que seus clientes solicitaram um contêiner não descartável para entregas de alimentos. As caixas de papelão, usadas anteriormente, exigiam que restaurantes ou outros fornecedores de refeições as descartassem, o que era uma despesa adicional. A Reynolds, então, respondeu ao pedido com uma caixa de plástico, que tem um custo bastante reduzido e conta com a tecnologia de rastreamento RFID. O resultado da adoção da tecnologia foi um sistema que identifica automaticamente quando cada caixa é embalada, enviada e quando retorna às dependências da empresa. Com esses dados, a Reynolds atendeu aos clientes ao mesmo tempo que pode, agora, localizar embalagens atrasadas ou mesmo ausentes e, assim, resolver quaisquer problemas logísticos.

Colheita inteligente na vinícola Norton Winery

A tradicional vinícola argentina Bodega Norton Winery também conseguiu ser referência no uso de tecnologia RFID ao aplicá-la na colheita. Para melhorar a produtividade e eficiência na colheita das uvas, a Bodega Norton introduziu uma solução de identificação RFID em 2011, que permitiu aos trabalhadores um dia de colheita extra a cada semana e melhorou o acompanhamento das operações. Com a aplicação da tecnologia, os gestores da vinícola passaram a ter informações mais precisas sobre as quantidades e tipos de uvas colhidas.

Supermercado francês Auchan e o rastreio de produtos

Outro case expressivo do rastreio de alimentos por etiquetas RFID é o do Grupo Auchan, rede francesa de supermercados. A grande rede adotou a identificação por radiofrequência para gerenciar 1,8 milhão de caixas de plástico reutilizáveis que passam por produtor até o seu centro de armazenagem e, depois, pelo processo de lavagem dos alimentos transportados. A tecnologia foi escolhida pela eficiência, principalmente quando comparada à alternativa de leitura de códigos de barra, que resultaria em um processo de leitura e identificação muito mais demorado. Os três cases acima são apenas alguns exemplos do que a tecnologia das etiquetas RFID pode oferecer para a indústria alimentícia. Para entender como você mesmo pode se tornar um case de sucesso, veja como as soluções da Aliger podem ajudar. Clique aqui para entrar em contato e descobrir as vantagens que oferecemos.   

Escrito por

Tags

Open chat