aliger em Business

10 de agosto, 2018

Inovação em tempos de crise: Fazendo a diferença com pouco orçamento.

Você já parou para pensar sobre a diferença entre transformação digital e inovação digital? Pois bem, a transformação digital é automatização dos processos da empresa. É transformar todo e qualquer processo em forma digital, para fazer a transição da empresa para um modelo de negócio e uma abordagem ao mercado característico da pós modernidade.

Já a inovação é a criação de processos, de produtos ou de um modelo de negócios. É reinventar ou até mesmo inventar algo novo de forma a reduzir custo, aumentar competitividade e muitas vezes incrementar de maneira significante a lucratividade. É usar ferramentas tecnológicas emergentes para aumentar a competitividade da sua empresa e oferecer melhores produtos e serviços a custos menores.

Pode parecer difícil investir em transformação e inovação com pouco orçamento e em tempos de instabilidade econômica, mas já pensou em contar com a parceria de empresas que vão analisar a maturidade de inovação da sua empresa?

Elas podem identificar, por exemplo, a necessidade de elaborar projetos com tecnologias emergentes, a chamada indústria 4.0 — que contempla as seguintes tecnologias IoT, Inteligência Artificial, Realidade Virtual, Realidade Aumentada, Blockchain?

Pois bem, se você quer saber um pouco mais sobre como é possível ter um projeto inovador para a sua empresa, mesmo em tempos de crise, acompanhe o nosso conteúdo.

Inovação em pequenas ações e grandes processos


Uma opção para inovar em pequenas ações e grandes processos é usar, por exemplo, as mesmas metodologias de uma startup na realidade de empresas maiores e tradicionais. Essa forma de inovação diz respeito a realização de  uma prova de conceito (MVP ou protótipo) para aos poucos adequar processos até chegar o melhor resultado para a empresa.

É a ideia de testar e adequar processos até chegar ao melhor resultado. Assim, quando o projeto é concluído, os custos para desenvolvimento não são tão elevados, pois por ser uma prova de conceito, os valores envolvidos são menores do que se fosse feito o desenvolvimento do projeto por completo.

De acordo com a Claudia Wilson, CEO da Beezstudio, a prova de conceito é uma excelente ferramenta para avaliar as ideias na prática, pegar feedbacks e até para fazer engajamento com o time executivo e os clientes internos da empresa, o que poderá assegurar recursos não previstos no orçamento para o desenvolvimento do projeto completo.

“As maiores empresas quando pensam em inovação, chamam os grandes players de mercado e perguntam o que eles tem de novo, e na verdade acabam se ajustando a oferta existente, investem uma parte do orçamento em produtos ‘inovadores’. No mercado costuma-se dizer uma frase: Nunca ninguém foi demitido por contratar uma grande empresa de tecnologia grande, como IBM, CISCO, Microsoft. O problema é o custo necessário para se adaptar a oferta"

A CEO da Beezstudio explica ainda que mesmo desenvolvendo todo o projeto, até colocar o produto no mercado, o investimento é muito menor do que se tivesse contratado uma das grandes de tecnologia, que aliás pode vender também a mesma solução para os concorrentes, ou seja, sem personalização, tampouco vantagem competitiva sustentada.

A executiva mostra ainda que, por outro lado, as empresas menores, que atuam como “studios” ou labs de inovação, fazem projetos sob medida para seus clientes e projetos únicos que a concorrência não pode executar em pouco tempo.

“Estes produtos desenvolvidos sob medida podem representar uma grande vantagem competitiva sustentada, pois quando o concorrente por mais capitalizado que seja, lançar um produto similar, sua empresa já terá uma nova versão do produto com mais funcionalidades”.

Principais vantagens da inovação


O fato de contar com uma empresa parceira para implementar inovações a sua estratégia de negócio é fazer com que os  valores envolvidos inicialmente nos projetos sejam menores, a partir da utilização da prova de conceito, por exemplo.

As empresas que não consideram o uso dessa metodologia davam margem para que  o projeto ao ser desenvolvido ter um custo inicial mais alto, tinham portanto, ajustes, quando necessários também mais elevados.

Outra vantagem é contar com empresas de consultoria com profissionais altamente qualificados e especialistas nesses novos tipos de soluções tecnológicas. E o terceiro benefício é que a adaptação de empresas médias e grandes a realidade de outras de pequeno porte torna os processos mais ágeis e eficientes.

Para a CEO da Beezstudio, “uma questão bem interessante que é por vezes as pessoas não observam que o preço de um projeto desenvolvido por uma empresa de pequeno porte é menor, não porque se utiliza recursos de menor qualidade, mas pela diferença do custo da máquina, o que reflete no valor final do projeto”, ressalta.

Case referência para essa inovação


Mercado segurador


Uma grande seguradora que trabalha com o ramo de automóveis, por exemplo. contratou uma empresa de consultoria aliada a outra que oferece serviços de tecnologia das coisas em sistemas customizados para o desenvolvimento de soluções, como dispositivos que além de rastreamento de veículos, monitorem também informações do condutor como forma de condução, e informações dinâmicas do veículo em tempo real.

De acordo com a CEO da Beezstudio, nesse caso, a ideia é desenvolver um estudo e protótipo validado de software e hardware para atender essa demanda específica em poucas semanas.

“Isso inclui o estudo completo de recomendações de fornecedores qualificados que atendam a qualidade e o valor do dispositivo, permitindo que o produto (apólice de seguro) a ser ofertado para o cliente (segurado) tenha um valor mais assertivo, por vezes até mais barato, para determinado perfil, uma vez que o dispositivo instalado permitirá que o veículo seja mais inteligente.

Esta solução também facilitará a seguradora a oferecer novas modalidades de seguro, como pay as you go, ou até apoiar seu cliente, o condutor, em orientações de áreas de risco em tempo real a fim de que seja utilizado um trajeto mais seguro”, ressalta.

Pois bem, para se ter ideia de como é possível e necessário inovar, mesmo com pouco orçamento, uma pesquisa do SPC Brasil mostra que mais de um terço das micro e pequenas empresas brasileiras investem em tecnologia. Hoje, cerca de 35% dos pequenos empresários no Brasil apostam, por exemplo, em inteligência artificial para melhorar os resultados dos negócios.

E então? Precisa de uma empresa que te ajude a desenvolver um projeto de inovação com pouco orçamento? Entre em contato com a Aliger, que vai te ajudar na escolha da melhor tecnologia para o seu negócio e em como adquirir vantagem competitiva sustentável no mercado em que você atua.

Escrito por

Tags

Open chat