aliger em Editorial

30 de abril, 2019

Tudo o que você precisa saber sobre o uso de sensores no controle de rebanho

Nos últimos anos, o agronegócio teve que lidar de vez com as mudanças trazidas pela revolução digital. Com o uso de um conjunto de tecnologias, como a Internet das Coisas (IoT), os agricultores conseguiram alcançar maior eficiência, além de melhorar o processo de tomada de decisões. Todas as áreas do setor foram impactadas, inclusive a pecuária, que sofreu melhorias significativas com o uso de sensores no controle de rebanho.

Atualmente, estão disponíveis no mercado diversas soluções que ajudam os pecuaristas a obter um monitoramento completo de seu rebanho. Os sensores podem ser utilizados em várias partes dos corpos dos animais - incluindo a cauda, ​​pescoço, cascos e estômago - e auxiliam os produtos em vários aspectos. Continue a leitura para saber mais!

Controle de localização e movimento

Quem cria rebanhos soltos em pastos necessita ter um controle da localização de seus animais. Além do risco de roubo, é preciso checar diversos fatores, tais como saúde, parto, etc. Nesse sentido, a IoT é uma grande aliada dos pecuaristas. Com o uso de sensores, é possível saber a localização exata de cada animal.

Dessa forma, você consegue monitorar seu rebanho durante 24 horas por dia sem a necessidade de ir a campo. Além disso, caso seja necessário encontrar o animal para efetuar algum procedimento, como aplicar medicação ou fazer inseminação, você saberá exatamente onde ele está, o que ajuda a poupar muito tempo.

A movimentação também pode ser um indicador de avaliação da saúde. Depois de um tempo utilizando sensores no controle de rebanho, você terá um padrão de comportamento de cada animal. Se ele estiver se movimentando muito mais ou muito menos do que o usual, pode ser que algo de errado esteja acontecendo.

Fertilidade

O uso de sensores no controle de rebanho também favorece ao aumento da produtividade. As vacas têm uma pequena janela de tempo de cio - em algumas raças pode ser de apenas oito horas por mês. Por isso, é necessário um monitoramento frequente para saber quando elas entram no período fértil para, assim, proceder com a inseminação artificial ou induzir a monta.

Com o uso de sensores é possível detectar exatamente quando os animais entram no cio. Dessa forma, você consegue ter maior eficiência no processo de fertilização e, consequentemente, aumentar sua receita potencial.

Comportamento e saúde

Utilizando sensores no controle de rebanho, você pode rastrear a atividade dos animais constantemente. Esses dispositivos são capazes de detectar diversas anomalias e estabelecer padrões de alimentação e pastoreio dos animais. Essas informações são transmitidas e armazenadas na nuvem e os agricultores podem acessá-las via smartphone, computadores ou tablets e agir rapidamente para resolver quaisquer tipos de problemas.

Soluções sob medida

Além dessas inovações citadas, existem diversas outras aplicações disponíveis no mercado. Muitas delas utilizam energia solar e podem ser utilizadas mesmo em áreas onde não há cobertura móvel. Dessa forma, você consegue monitorar seu rebanho a qualquer momento e coletar os mais diversos dados, sejam comportamentais ou de saúde.

Com o uso da IoT, é possível aumentar a taxa de reprodução, melhorar a qualidade de vida dos animais, reduzir custos e, inclusive, maximizar a pastagem.

Para extrair o máximo dessa tecnologia, os produtores que desejam utilizar sensores no controle de rebanho devem procurar uma empresa especializada que desenvolva soluções que sob medida para suas principais necessidades.

Se você gostou deste conteúdo, então você também irá gostar de conhecer essas 7 aplicações de sensores na IoT. Boa leitura!

Escrito por

Tags

Open chat